Imani Tribe Fest 2015

por Maria Badulaques & Shabbanna Dark




"O que aconteceria se ao invés de construir nossas vidas, tivéssemos a alegria ou sabedoria de dançá-la?" (Garaudy)

As coordenações do Centro-Oeste e do Sudeste - Núcleo São Paulo se uniram para produzir a resenha sobre o Balkanic Explosion - Imani Tribe Fest que ocorreu no último dia 28-02 e 1-03 em Brasíllia-DF. Este clima de união não está restrito as resenhistas do blog foi algo sentido no ar, degustado como um novo sabor a qual todos desejavam provar.

Entre os workshops de Paola Blanton, inspirados pela filosofia Duncan e a cultura dos Balkans o que se viu foram lindas espirais e círculos de mulheres, a luz das Danças Circulares, onde a troca de energia era a grande estrela. Conexão, eis o sentimento coletivizado pelas vísceras de cada participante.

A noite do primeiro dia de work, contamos com as Mostras de Dança, algumas delas acompanhadas da música incrível do Kervansarai, como eu digo sempre: TE-SU-DAL!!! Lindo ver a sintonia e sincronicidade entre dançarina e músicos, e por diversas vezes observar que se tornam algo homogêneo e uno. Agora, hilariante era ver Paola, entre uma apresentação e outra, tirando tranquilamente aviamentos, escolhendo o que ficava e não ficava bom e começando a costurar ali, em paz, tranquila e faceiramente. Ri sozinha com a cena!

Acredito, por convicção, que o conceito de Tribo é esta doação de olhares, passos em sintonia, satisfação em compartilhar da vivência e, principalmente, incentivo mútuo, seja com o silêncio de cumplicidade, seja um abraço ou aquela palavra de motivação. Uma verdadeira orgia de sentidos. Senti uma catarse em avalanche! A paixão colérica pela dança, aquela que vem das entranhas, se manifestando em cada um.


O evento foi idealizado por Raisa Latorraca em parceria com Imani Art (by Ingrid e Pedro), contou com fotos incríveis do Rodrigo Carletti e o coração aos pulos de cada integrante. De São Paulo fomos eu e o Marcelo Justino (ganhador do sorteio de um cinturão Imani), animados por poder participar, afinal, a tribo não tem fronteiras. Voltamos com muitas amizades na mala e saudades que demandam por serem saneadas num futuro próximo.


Como dançarina me deixou em êxtase participar dos works e do Festival; saí com o coração renovado, as convicções reforçadas e a certeza que o caminho da dança do futuro é o resgate daquilo que vem da alma; aprender a técnica é de lei, mas como nos lembrou Paola, nas palavra de Isadora Duncan, não deixar que a técnica enrijeça a expressividade. Eis a unica dança que importa.

Por mais eventos como este em nossa Tribo.
Por mais Isadora em nossa dança.
Por mais alma e conexão.

Maria Badulaques.





Saudações, galera ! É realmente com muita alegria que nos juntamos nessa edição, Centro - Oeste e Sudeste dessa vez juntos para mais um Resenhando. 
Acredito que o cenário tribalistico de Brasília está crescendo cada vez mais !

Nos dias 28/02 e 01/03/2015 aconteceu em Brasília a primeira edição de um Festival  que em termos de programação artística fez toda a diferença na história do cenário brasiliense:  literalmente balançou as nossas estruturas corporais.

Com uma vivência de Folclore internacional e Danças Ciganas que rodou o mundo inteiro, Brasília recebeu Paola Blanton. Requisitada em diversos países, reconhecida como grande referência, autora estudiosa de várias vivências e workshops que capacitam as bailarinas a acompanhar ritmos ímpares como o Karsilama e música Balkan – Otomana , Paola segue enriquecendo cada vez mais o meio dançante por onde passa, com toda essa sensibilidade e didática para aprimoramento cultural de diversos amantes da arte.

Paolinka (MK/USA/UNESCO) é bailarina oficial da ‘’orkestra Bandida’’(Gypsy World Music). Um grupo ligado à Fundação Tarab que, por sua vez, também é formado por 7 multi-intrumentistas pesquisadores da música cigana Oriental  que utilizam da linguagem do Maqam (escalas orientais) se aprofundando no sistema dos quartos de tom. Foi com toda essa bagagem corporal e cultural, cheia de amor pra dar, que ela veio até nós com o Balkanic Explosion. E o que deixa mais entusiamo é que além do folclore e o tradicional, amamos dança de fusão ! E sim!!! Ela é a pioneira original no Estilo Balkan Fusion  x) 


Demais! O Imani Ateliê surpreendeu ao trazer logo na primeira edição uma bailarina internacional com tantas técnicas para ensinar. Sem dúvida, inovou ao criar esse festival, com o intuito de fazer cada vez mais movimento no universo ‘’ tribalistico’’ e ousou ao montar uma programação rebuscada e recheada de emoções diferenciais em um único final de semana aqui na nossa capital.

Raisa Latorraca foi quem estava por traz da produção juntamente com o Atêlie Imani Art e organizou todas na caravana em uma só noite que teve o real sabor de trupe, totalmente entregues em uma imersão coletiva.

Os workshops aconteceram na Backstage Dance Center, uma escola preparada com salas ambientadas e estrutura de estudo  que suportam até 100 pessoas, o mais novo lugar da dança em Brasília, que fica na entrequadra 710/711 Bloco D Loja 41- Asa Norte.

O Primeiro módulo trouxe o estudo do repertório fundamental de danças Balkans, Horo Macedônio, Kolo Sérvio, e Tchiftelli Grego em fácil formato circular, como os de casamentos e festas. Com isso tivemos uma aula intensa que abarcou pessoas de diversos estágios da dança, professoras e alunas, lideradas pela Mestra Paola que acabou “nivelando” todas as presentes ao se tratar de uma nova linguagem técnica, embora algumas já tivessem um pouco desse reconhecimento musical e aproximação com o estilo.


Não bastasse os três workshops, a produção reuniu em um mega show no Teatro USINA, renomadas bailarinas de dança do ventre, precursoras e professoras do Tribal Fusion de Brasília/Centro - Oeste , bem como agentes culturais do Distrito Federal e  as atuais artistas profissionais da dança de Fusão.

E a celebração na noite de 28/02, foi linda, com pessoas das quais tive o prazer de dividir palco  são elas: Paola Blanton, Carol Newman, Backstage Dança, Nara Faria ( de volta aos palcos com sua dança pirofágica e malabares), Carol Freitas, Anandah, Amanda Zaiek, Carolina Araújo De Lima Piffer (Carol Lima), Júlia Gunesch, juntamente com os bailarinos Raphael Balduzzi, Alexandre Adas ( que formaram um trio performático),Thais Padma, Luthien Tribal Fusion Trupe, Teresa Cristina, Grupo Ayuny, Cínthia Haeser, Amura Zahra, Hassan Nabil,Tuareg, Anna Carolline Toledo, Camila Lincoln, Amanda Rosa, Sara Silva dos Reis, André Silva dos Santos, Pedro Jofflily de Araújo (que participaram de encenações) e a própria Raísa Latorraca que, além de produzir todo esse show,  ainda teve fôlego pra participar da programação entre ricos solos e esbanjando entre outras habilidades, toda sua garra, destreza e muita teatralidade com seus grupos. Recebemos também, Maria Badulaques e Marcelo Justino direto de São Paulo ^^ Ufa! Fantástico !

O carro chefe fazendo abertura da noite foi a encantadora Banda Kervansarai com Bernardo Bittencourt, BetyVinyl, Ted Falcon, Igor Diniz e seus convidados mais que especiais: Lucas Muniz e o Mahmoud Al Masri. Para fechar com chave de ouro, Paola Blanton subiu novamente no palco levando com ela algumas bailarinas inscritas no workshop, formando uma grande roda balcânica e nos divertimos muito participando da coreografia teatral dessa  "Gypsy Experiênce ‘’.


O segundo módulo foi no domingo pela manhã que trouxe mais estudos de ritmos ímpares – Karsilama 9/8 – com estudos de frases musicais e mais entradas ao ritmo em formatos circulares, envolvidas ao som dos instrumentos turcos que puxam para o Húngaro, tudo com variações simples para coreografia, além de passos na contagem de 4 tempos e alegria embriagante das danças Sérvias. (SIIIIM! Ainda tínhamos energia!!! hahahahaha).


Do tradicional até a fusão, o terceiro módulo foi encantador com a dança Chochek e seus passos tradicionais de casamento, marcadas com pequenas pausas e gestos mas muita liberdade de expressividade espontânea. Paola  ensinou bastante dentro da sua metodologia de adaptação e, dessa forma, vimos combinações variadas que podem ser adaptadas para danças do ventre, ciganas e Tribal.

A conexão que faço de todas essas dinâmicas que aprendemos é que temos  que estar atentas as companheiras, seguindo os movimentos do Líder dentro das rodas Balcânicas, assim como o American Tribal Style® (ATS®)



Fica até aqui um gosto de ‘’ quero mais ‘’ temperado com a saudade dessa noite.Um evento que, ao que tudo indica, será anual. Esperamos, torcemos e cooperaremos para próximas edições cada vez mais especiais. Que venham mais novidades!

A cobertura do evento foi por conta do fotógrafo Rodrigo Carletti e Allan Mendes com vídeo e documentários.

Agradeço imensamente à equipe Imani Tribe (Ingrid e Raísa ) pela oportunidade de experiência incluída nesse conjunto.


Vídeos:


Imani Tribe Fest
Imani Tribe Fest 2015Edição: Balkanic Explosion - Paola Blanton Vídeo clip por Allan Mendes Muito obrigado a todos festejaram com a gente :)A nossa caravana foi muito especial <3 <3 <3 Poetisa Seirabeira, KERVANSARAI, Bernardo Bittencourt, Bety Vinil, Igor Diniz, Ted Falcon, Raisa LatorracaPedro Xavier Fo, Mahmoud Mahmoud Al Masri, Lucas Rosado Muniz, Marcelo Justino, Maria Badulaques, Carol Newman, Backstage Dance Center, Tuareg, Amanda Rosa, Bruno Straniak, Hallisson Nogueira, Camila Lincoln, Nara Faria, Ana Carolline Toledo, Rodrigo Carletti, Sarah Silva Dos Reis, André Santos, Pedro Toffiy de Araújo, Carolina Araújo De Lima Piffer, Shabbanna Dark, Carol Freitas, Thais Padma, Amura Zahra, AYUNY Grupo de dança, Cínthia Haeser Calima Tribal, Hassan Nabil, Amanda Zayek, Teresa Cristina Moreira, Anandah Dança Do Ventre, Luthien Tribal Fusion Trupe, Mari Cavalcante, Priscila Gaze, Júlia Gunesch , Alexandre Adas, Raphael Balduzzi, George Preto Latorraca, Mateus Latorraca, Igor Frank Saraiva Latorraca, Glauce Latorraca, Josy Braga, Carla Q Castro, Hannah Maria Aimé, Marcelita Matos
Posted by Imani Art on Sexta, 27 de março de 2015






Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...